Combate Ao Terrorismo Na América do Sul: Uma Analise Comparada das Politicas do Brasil e dos Estados Unidos Para a T-p Código: 732494

  • Marcos Alan S. V. Ferreira
PRISMAS
FracoRegularBomÓtimoExcelente Sem avaliação
à vista no boleto bancário

Este produto será entregue por um de nossos parceiros

Produto Sob Encomenda: Este produto não está disponível para entrega imediata e será encomendado junto à editora. Previsão de postagem em até 25 dias úteis + tempo de transporte (conforme frete escolhido), após a confirmação do pagamento.
Avalie o produto:
Excelente

Características do Produto

Autor(es)
  • Marcos Alan S. V. Ferreira
ISBN9788555072888
Numero de Páginas246
Numero de Edição1
Ano de Edição2016
EditoraPRISMAS
Ano de Publicação2016
EncadernaçãoBrochura
OrigemNacional

Sinopse

Após os atentados de 11 de setembro de 2001 ocorridos em território norteamericano, diversas ações foram tomadas por parte do governo dos EUA para contenção do terrorismo internacional. Embora seja uma região que não tenha sofrido intervenções basead as no argumento de combate ao terror, no caso da América Latina uma área em especial tem sido destacada nos relatórios governamentais e estudos de analistas internacionais: a Tríplice Fronteira entre Argentina, Brasil e Paraguai. Tal região tem sido considerada uma área propensa a ser utilizada como base de apoio ao terrorismo internacional, especialmente para financiamento de grupos islâmicos radicais. Visando uma melhor compreensão do destaque dado à região, esta obra objetiva analisar a polít ica externa dos EUA para a região, assim como as ações e as percepções do mesmo, em comparação às visões proporcionadas por analistas internacionais. Ainda, pretendese mostrar o posicionamento do governo brasileiro diante desta postura de Washington. Considerando que tal tema tem sido pouco estudado na área de Relações Internacionais, esta obra busca preencher uma lacuna importante nos estudos relacionados a segurança internacional dentro do Cone Sul, auxiliando na compreensão de como atuam os d iferentes órgãos da arquitetura política norteamericana e a resposta do Brasil em um dos poucos aspectos no qual a América do Sul é lembrada na chamada Guerra ao Terrorismo iniciada pelo governo George W. Bush.
Minha Conta