Produção de Provas na Arbitragem: Lei de Arbitragem 9.307-96 Código: 721737

  • Wilson Alberto Zappa Hoog
JURUA
FracoRegularBomÓtimoExcelente Sem avaliação
à vista no boleto bancário

Este produto será entregue por um de nossos parceiros

Produto Sob Encomenda: Este produto não está disponível para entrega imediata e será encomendado junto à editora. Previsão de postagem em até 9 dias úteis + tempo de transporte (conforme frete escolhido), após a confirmação do pagamento.
Avalie o produto:
Excelente

Características do Produto

Autor(es)
  • Wilson Alberto Zappa Hoog
ISBN9788536256771
Numero de Páginas206
Numero de Edição2
Ano de Edição2016
EditoraJURUA
Ano de Publicação2016
EncadernaçãoBrochura
OrigemNacional

Sinopse

Esta obra foi desenvolvida especificamente para a formação de árbitros, contadores, administradores, economistas, engenheiros e demais profissionais que trabalham na arbitragem. No meio profissional: Destina-se aos profissionais que trabalham com a arbitragem e os seus meios de provas, em decorrência da sua forte característica de cientificismo, sendo indicada como um guia geral de fundamentações, quer seja pela sua força doutrinária de interpretações da Lei de Arbitragem, quer pelo fator da me todologia e de argumentações. É indicado também como um referente de amplo aspecto na implantação de um programa de aperfeiçoamento ou desenvolvimento de programas de educação continuada para os profissionais da arbitragem, podendo ser aplicado às a ltas fundamentações científicas. É recomendado para ser usado como um manual geral de arbitragem, perícia e fundamentações científicas nas várias formas possíveis de litígios que envolvem os bens e direitos patrimoniais disponíveis. No meio acadêmi co: Recomendamos esta obra como bibliografia-base para a disciplina de arbitragem nos cursos de pós-graduação, além de servir como leitura complementar quando da elaboração de artigos, monografias, dissertações e teses. No sentido geral da aplicação da obra: Sugerimos esta obra aos profissionais da arbitragem de um modo geral, distinguindo-se arbitragem de direito de equidade. Logo, para ser árbitro avulta a necessidade de uma especialização na matéria, independentemente deste conhecimento ser científico ou empírico. E ambos são tratadas na obra.
Minha Conta