Trabalho, Folga e Cuidados Terapêuticos Código: 735554

  • Júlio Cesar Medeiros da Silva Pereira
PRISMAS
FracoRegularBomÓtimoExcelente Sem avaliação
à vista no boleto bancário

Este produto será entregue por um de nossos parceiros

Produto Sob Encomenda: Este produto não está disponível para entrega imediata e será encomendado junto à editora. Previsão de postagem em até 25 dias úteis + tempo de transporte (conforme frete escolhido), após a confirmação do pagamento.
Avalie o produto:
Excelente

Características do Produto

Autor(es)
  • Júlio Cesar Medeiros da Silva Pereira
ISBN9788555072161
Numero de Páginas309
Numero de Edição1
Ano de Edição2016
EditoraPRISMAS
Ano de Publicação2016
EncadernaçãoBrochura
OrigemNacional

Sinopse

"A memória da Fazenda de Santa Cruz traz imensa carga simbólica por sua magnitude, centralidade econômica e por ter pertencido aos jesuítas, para depois, de forma traumática, passar à propriedade da Coroa, após a expulsão da ordem. Documentos, fonte s e narrativa escolhidos por Júlio César Medeiros, apresentados neste livro, permitem uma aproximação com o cotidiano desta Fazenda. O leitor saberá como o hospital de escravos da Fazenda passou a ser o ponto central para onde convergiriam as prática s terapêuticas, o cuidado com crianças e idosos e a alimentação não apenas dos enfermos, mas das guarnições de serviço que, por sinal, era cativa. Além disto, verá que a prática do oficio e as folgas ajudavam a compor este quadro de relativa tranqüil idade que distinguia os escravos santacruzenses em relação aos demais cativos. Por entender que a história pode ajudar a compreender o presente, o autor deseja levar o leitor a refletir sobre como as ações de gerência em cargos decisórios e instituc ionais em áreas como: saúde, educação e moradia afetam profundamente a vida daqueles que são mais vulneráveis à política pública de Estado. Por estes e outros motivos, o leitor tem em mãos um livro marcante sobre um tema pouco estudado, em que o tri pé: trabalho, folga e cuidados terapêuticos se tornaram os sustentáculos de uma sociabilidade escrava, enraizada no passado jesuítico, lutando pela manutenção dos direitos jesuíticos, frente à modernização capitalista, na segunda metade do século XIX . "
Minha Conta