Bit Auriverde, Um Código: 732867

  • Gildo Magalhães dos Santos Filho
INTERMEIOS
FracoRegularBomÓtimoExcelente Sem avaliação
à vista no boleto bancário

Este produto será entregue por um de nossos parceiros

Produto Sob Encomenda: Este produto não está disponível para entrega imediata e será encomendado junto à editora. Previsão de postagem em até 7 dias úteis + tempo de transporte (conforme frete escolhido), após a confirmação do pagamento.
Avalie o produto:
Excelente

Características do Produto

Autor(es)
  • Gildo Magalhães dos Santos Filho
ISBN9788584990528
Numero de Páginas250
Numero de Edição1
Ano de Edição2016
EditoraINTERMEIOS
Ano de Publicação2016
EncadernaçãoBrochura
OrigemNacional

Sinopse

"Neste livro, o autor parte de uma revisão desde a Antiguidade das preocupações que antecederam a informatização da sociedade e dos empecilhos que travaram o crescimento econômico e industrial do Brasil. Em seguida, analisa uma série de erros que jog aram no limbo a tentativa nacionalista do governo e seus aliados em transformar o país numa potência no setor de informática. Entre as décadas de 1970 e 1980, a “Política Nacional de Informática” foi atacada pelos vírus da falta de incentivo oficial à pesquisa científica, do oportunismo de empresários visando apenas lucros imediatos e por uma atrapalhada relação entre Estado, universidades e empresas. Tese defendida na USP em 1994 e ainda atual, a pesquisa apresentada situa o desenvolvimento tr uncado do campo da fabricação de computadores e seus programas como reflexo das políticas neoliberais que passaram a nortear a ""Nova República"", cujos efeitos continuam a repercutir no cotidiano da nação. Neste livro, o autor parte de uma revisão d esde a Antiguidade das preocupações que antecederam a informatização da sociedade e dos empecilhos que travaram o crescimento econômico e industrial do Brasil. Em seguida, analisa uma série de erros que jogaram no limbo a tentativa nacionalista do go verno e seus aliados em transformar o país numa potência no setor de informática. Entre as décadas de 1970 e 1980, a “Política Nacional de Informática” foi atacada pelos vírus da falta de incentivo oficial à pesquisa científica, do oportunismo de emp resários visando apenas lucros imediatos e por uma atrapalhada relação entre Estado, universidades e empresas. Tese defendida na USP em 1994 e ainda atual, a pesquisa apresentada situa o desenvolvimento truncado do campo da fabricação de computadore s e seus programas como reflexo das políticas neoliberais que passaram a nortear a ""Nova República"", cujos efeitos continuam a repercutir no cotidiano da nação. "
Minha Conta