Contos Para Jovens e Adultos: Baseados nas Fábulas de Esopo Código: 713325

  • Luís Fernando Milléo
CRV
FracoRegularBomÓtimoExcelente Sem avaliação
à vista no boleto bancário

Este produto será entregue por um de nossos parceiros

Produto Sob Encomenda: Este produto não está disponível para entrega imediata e será encomendado junto à editora. Previsão de postagem em até 40 dias úteis + tempo de transporte (conforme frete escolhido), após a confirmação do pagamento.
Avalie o produto:
Excelente

Características do Produto

Autor(es)
  • Luís Fernando Milléo
ISBN9788544406687
Numero de Páginas76
Numero de Edição1
Ano de Edição2016
EditoraCRV
Ano de Publicação2016
EncadernaçãoBrochura
OrigemNacional

Sinopse

Esta obra nasceu com o que chamei de “Devaneio Literário”. Motivado por um grande amigo, psicólogo, palestrante e escritor, escrevi um conto para participarmos de um concurso promovido por uma importante editora de livros eletrônicos. Combinamos em c ompartilhar nossas obras com o intuito de que um pudesse ser o “crítico literário” do outro. Efetivamente exercemos o papel com absoluto profissionalismo. Literalmente colocamos as “canetas vermelhas” para trabalhar. Me atrevi a dar uma nova “roupage m” à história A Formiga e a Cigarra de Esopo. Apesar das canetadas alheias, meu amigo foi muito elogioso quanto a minha obra. Gente importante é assim, não poupa a generosidade. Daí me veio a ideia e o entusiasmo para escrever um livro inteiro “repag inando” alguns contos antigos e famosos. Expus meu devaneio durante um jantar e ele, astuto como uma raposa, só para citar um dos personagens dos contos, me perguntou se eu trabalharia apenas com os contos de Esopo. Até então eu não tinha a ideia qua is os contos que Esopo havia escrito. Mãos à obra, fui pesquisar. E assim surgiu este singelo trabalho... Mas de onde vem o desejo de escrever, você pode estar se perguntando. Para esta, eu peço ajuda a Clarice Lispector: “Escrever é procurar entende r, é procurar reproduzir o irreproduzível. É sentir até o último fim o sentimento que permaneceria apenas vago e sufocador. Escrever é também abençoar uma alma que não foi abençoada.”
Minha Conta