Poeta da Periferia, O: Contos, Crônicas e Poesias Código: 745466

  • Luiz Luizinho Lima
PONTES
FracoRegularBomÓtimoExcelente Sem avaliação
à vista no boleto bancário

Este produto será entregue por um de nossos parceiros

Produto Sob Encomenda: Este produto não está disponível para entrega imediata e será encomendado junto à editora. Previsão de postagem em até 10 dias úteis + tempo de transporte (conforme frete escolhido), após a confirmação do pagamento.
Avalie o produto:
Excelente

Características do Produto

Autor(es)
  • Luiz Luizinho Lima
ISBN9788571137813
Numero de Páginas140
Numero de Edição1
Ano de Edição2016
EditoraPONTES
Ano de Publicação2016
EncadernaçãoBrochura
OrigemNacional

Sinopse

A medida da originalidade do autor está expressa neste livro, em seus termos mais simples, uma coletânea de pensamentos despretensiosos em que sua ênfase seletiva se desvia da norma convencional da literatura e estabelece novos padrões de relevância. A escrita é dada a conhecer em prosa poética, e as mensagens que o autor quis transmitir através da sua história são muitas e plenas de profundidade, relacionadas sempre com dualidades: Homem versus Natureza, normalidade versus patologia, etc. Este livro procura atender a adversidade, das mudanças súbitas, pelas quais, o autor passou. Vemos aqui atos e atitudes, o começo, as lembranças boas e ruins, as pessoas e as coisas que o envolveram em um universo de dor, amor e contemplação. De ciclicida de, metamorfose e resistência, de amizade, ternura e sofrimento, fala este livro meio crônico, meio artigo. Nos envolve, mexe com a nossa alma e faz-nos dar importância a coisas simples que por rotina passa-nos ao olhar, ao toque, à compreensão. Luiz inho é um homem simples, mas de uma alma grande. O núcleo de suas memórias não é, todavia, sua aventura, mas, principalmente, a história contada de forma lúdica. Relatando e criando o retrato real só possível pela testemunha ocular da fome, da miséri a, da violência e da insanidade do ser. Retratando minuciosamente o movimento de pessoas que o cercaram, o autor constantemente se prende à individualidade das ações e mostra casos isolados marcantes que demonstram bem o absurdo da violência humana. Nesse preâmbulo apresentado é possível divagar sobre o texto sem perder as ilusões e a esperança de viver cada dia um conto com ou sem encanto, mas carregado da força de viver uma história.
Minha Conta