Palavras e Sombras: Palabras Y Sombras Código: 734140

  • Francisca G. Vilas Boas
SCORTECCI _ EDITORA
FracoRegularBomÓtimoExcelente Sem avaliação
à vista no boleto bancário

Este produto será entregue por um de nossos parceiros

Produto Sob Encomenda: Este produto não está disponível para entrega imediata e será encomendado junto à editora. Previsão de postagem em até 7 dias úteis + tempo de transporte (conforme frete escolhido), após a confirmação do pagamento.
Avalie o produto:
Excelente

Características do Produto

Autor(es)
  • Francisca G. Vilas Boas
ISBN9788536643182
Numero de Páginas180
Numero de Edição1
Ano de Edição2016
EditoraSCORTECCI _ EDITORA
Ano de Publicação2016
EncadernaçãoBrochura
OrigemNacional

Sinopse

SOBRE O LIVRO DE POEMAS: A ASA E O OSSO 1. “A dicotomia do título A Asa e o Osso nos leva a várias reflexões, (...) às indagações filosóficas, aos conceitos de liberdade e morte. “(...) a morte captura faces/ algumas em cárcere/ outras no voo.” (in f aces – pág.20). As lições de vida e morte que aprendemos com o livro A Asa e o Osso nos arrebatam para a finitude de nossas ações com exemplos de que a carne é falida, dilacerada e passageira. Só mesmo os sonhos são a nossa única esperança no barco que conduz a poetisa. “(...) a palavra sonha, tem alma própria./ enraizada ao viver,/ às vezes, andarilha do mundo.../ no corpo imagens germinam,/ ora fruto que morre,/ora rio sobre estrias da língua./ no osso a vida tem nexo: – une a asa ao voo.” (i n da melancolia – pág.48).” (Marco Antonio Soares de Oliveira – foi escritor e jornalista) 2. “(...) Para a contista-poeta de Guaxupé, MG, o silêncio são “latências anotadas”, urdidas para “o que não chega.” (...) Há um “silêncio ferido”, um “silênc io [que] fecha cortinas” outro que “chega gravado em raízes” ainda outro que “atado”, faz “germinar folhas, fervilhar magmas, mudar estrelas, queimar solidões.” Que os apreciadores da melhor poesia tenham mais acuidade na leitura dos poemas adaptaç ões, com o desfecho de choro, nas metáforas reluzentes e ígneas, embutidas em ofício mais as agulhas do nada que enchem de comoção os descaminhos poéticos além da ironia saborosa de prosaísmos. (...) Um livro para leitores de sensibilidade madura, be m formada pela exigência do melhor com palavras.” Márcio Almeida – poeta e crítico literário SOBRE EL LIBRO DE POEMAS: A ASA E O OSSO 1. “La dicotomía del título A Asa e o Osso nos lleva a varias reflexiones, (...) a las indagaciones filosóficas, a l os conceptos de libertad y muerte. “(...) la muerte captura rostros/ algunos en la cárcel/ otros en el vuelo.” (in faces – pág.20). Las lecciones de vida y muerte que aprendemos con el libro A Asa e o Osso nos arrebatan para la finitud de nuestras ac ciones con ejemplos de que la carne es fallida, dilacerada y pasajera. Únicamente los sueños son nuestra única esperanza en el barco que conduce la poetisa. “(...) la palabra sueña, tiene alma propia./ enraizada al vivir,/ a veces, andariega del mund o.../ en el cuerpo germinan, imágenes/ ora fruto que muere,/ora río sobre estrías de la lengua./ en el hueso la vida tiene nexo: – une el ala al vuelo.” (in da melancolia – pág.48).” (Marco Antonio Soares de Oliveira – fue escritor y periodista
Minha Conta