Por Amor Á Sabedoria - Coleção Viagem Filosófica Código: 1068132

  • João Carlos Silva
CHIADO EDITORA
FracoRegularBomÓtimoExcelente Sem avaliação
à vista no boleto bancário

Este produto será entregue por um de nossos parceiros

Produto Sob Encomenda: Este produto não está disponível para entrega imediata e será encomendado junto à editora. Previsão de postagem em até 45 dias úteis + tempo de transporte (conforme frete escolhido), após a confirmação do pagamento.
Avalie o produto:
Excelente

Características do Produto

Autor(es)
  • João Carlos Silva
ISBN9789895145287
Numero de Páginas500
Numero de Edição1
Ano de Edição2016
EditoraCHIADO EDITORA
Ano de Publicação2016
EncadernaçãoBrochura
OrigemImportado

Sinopse

"Por onde começar a investigar a questão de Deus? Que forças psicológicas se opõem à investigação filosófica? Será que a existência do Universo implica necessariamente a existência de um criador divino? Qual é afinal a solução do paradoxo do ovo e da galinha? Será mesmo verdade que se Deus não existir tudo será moralmente permitido? Que ideias filosóficas e que forças psicológicas nos impedem de agir moralmente e de viver eticamente? Qual a melhor forma de ética política? Serão as religiões verd adeiras? Que significados metafísicos contém o símbolo chinês do Yin-Yang? Qual é o poder efectivo da razão para causar a acção? Será realmente possível conhecermos a verdadeira natureza das coisas? O que é a verdade em filosofia e em moral? Será rac ional acreditar em Deus sem provas da sua existência? Serão os juízos filosóficos objectivos, em particular os juízos morais? Será que a vida tem sentido? Se sim, qual será ele? Será que o Nada existe? Se Deus existir e tudo tiver uma causa, será qu e Deus também é ou foi causado? Será moralmente permissível mentir ou estaremos sempre moralmente obrigados a dizer a verdade? Poderá o Universo ter-se criado a si mesmo? Como avaliar uma filosofia? Será o conceito de Deus autocontraditório e/ou auto refutante? Que utilidade e inconvenientes tem a história (da filosofia) para a filosofia? Será que a evolução natural é (in)compatível com o teísmo? Deverá a filosofia parar de interpretar o mundo para procurar acima de tudo transformá-lo? Será a fam osa regra de ouro da moral no fundo uma regra egoísta e perigosa? Terão os cientistas maior autoridade para criticarem os filósofos pela sua ignorância científica do que o inverso? Porque é que o relativismo se tornou, paradoxalmente, um dogma absolu tista dos tempos modernos? Será que a melhor explicação para o mistério da consciência consiste em acreditá-la presente em todas as coisas? Será mesmo verdade que tudo o que existe e acontece tem necessariamente uma razão suficiente para existir e ac ontecer? Será o mal apenas a privação do bem? O que é afinal a ciência? Serão ciência e filosofia, no fundo, uma e a mesma coisa? Pode a filosofia ser de alguma utilidade para a ciência e para os cientistas? Serão ciência e religião verdadeiramente c ompatíveis? Deveremos procurar ou evitar um possível contacto extraterrestre? Qual é a importância de ser coerente? Terão os animais realmente direitos? Se o relativismo fosse verdadeiro, o que implicaria ele para o ensino da filosofia? Será a filoso
Minha Conta